Anestesia local em crianças: Como utilizar?

anestesia-local-criancas

Anestesia local em crianças: Como utilizar?

Anestesia local em crianças: Como utilizar?

A anestesia local é a perda temporária de sensação ou de dor, produzida por um agente topicamente aplicado ou injetado, sem deprimir o nível de consciência.

O método de prevenir a dor durante os procedimentos odontológicos pode contribuir para a construção de um bom relacionamento entre dentista e paciente, baseado na confiança, visando a diminuição do medo, desconforto, ansiedade, e promovendo uma atitude positiva.

O profissional ao decidir pela utilização da técnica de administração do anestésico local em um paciente odontopediátrico, deve usar vocabulário simples e adequado para deixar a criança confortável e diminuir a tensão.

O odontopediatra deve permanecer atento à dosagem (calculando-a de acordo com o peso da criança) para minimizar as chances de causar intoxicação ou de prolongar o tempo de duração da anestesia, o qual pode levar a um traumatismo acidental dos lábios ou da língua.

Nesse contexto, é essencial o amplo conhecimento das estruturas anatômicas e da neuroanatomia da cabeça e do pescoço, o que permitirá a aplicação correta da solução anestésica, minimizando as possíveis complicações como hematomas, trismo etc. A avaliação do histórico médico do paciente é de extrema importância e pode diminuir o risco de agravamento de uma condição médica enquanto o tratamento odontológico é realizado.

Fatores a serem considerados:

– Idade do paciente;

– Área a ser anestesiada;

– Profundidade requerida;

– Duração do efeito anestésico;

– Presença de infecção local.

Cuidados:

– Efetuar observação minuciosa do paciente;

– Analisar seu comportamento;

– Exame clínico completo;

– Principalmente verificar o estado de saúde geral.

Técnicas de anestesia para crianças

Há várias técnicas disponíveis para utilização em crianças, anestia tópica, infiltrativa, lingual, intrasulcular, entre outras. Porém, nenhuma delas satisfaz totalmente as especificações de uma anestesia local ideal para elas. Por isso, normalmente são testadas primeiro nos adultos para a evidência de eficácia e segurança e posteriormente adaptadas para as crianças.

No entanto, nos últimos anos identificou-se um aumento em relação ao interesse de estudo relacionado a anestesia local em crianças. Muitos deles centrados na combinação de técnicas de anestesia e sedação, porque na verdade a dor e a ansiedade estão intimamente relacionadas em anestesia dental.

Concluiu-se que algumas técnicas possuem mais aceitação que outras, e a anestesia local com injeção assistida eletronicamente tem sido bem aceita pelas crianças, pois ela permite a aplicação de uma injeção anestésica local com muito pouca resposta comportamental ou dor em crianças.

Porém, a odontopediatria continua em constante evolução por meio de novas técnicas, equipamentos e avanços tecnológicos procurando aprimorar a cada dia os serviços oferecidos para os seus pacientes.

No Comments

Post a Reply