Hipnose médica no controle da dor

hipnose-medica-no-controle-da-dor

Hipnose médica no controle da dor

Atualmente, podemos encontrar muitos livros, revistas e artigos do mundo todo que falam sobre hipnose e hipnose médica. Talvez você esteja se perguntando se isso realmente funciona e como funciona. Sobretudo, o que ela é capaz de fazer pela medicina. Neste artigo você pode encontrar algumas respostas para essas e outras questões que você pode estar se perguntando.

O que é Hipnose Médica?

É uma técnica que utiliza a forma natural de funcionamento do inconsciente. Com sua utilização, uma a pessoa é capaz de fazer coisas que ela não pode fazer no modo consciente (normal), chamado “consciência crítica”. Todos nós sabemos entrar em modo hipnótico, mas sem “consciência” disso.

Hipnose médica é uma ferramenta que funciona como uma anestesia local ou geral. Se realizada com responsabilidade e de forma correta, pode ser uma grande aliada para aliviar dores que algumas enfermidades causam, inclusive dentais.

Um pouco de história

Há 4000 aC, os egípcios utilizavam prática da hipnose. No século 19, ela era uma ferramenta utilizada por dentistas renomados até meados de 1832, quando foi substituída por uma técnica que parecia simples: um algodão embebido em clorofórmio no nariz dos pacientes, que os anestesiava quase que imediatamente. Atualmente, com o retorno da utilização de  medicamentos suaves e naturais, a hipnose médica vai aos poucos encontrando seu lugar em todos os setores da medicina.

O estado hipnótico no dia-a-dia

Você sabia que em muitos momentos da nossa rotina, nos colocamos em estado hipnótico sem perceber? 

Imagine uma criança na sala de aula com a cabeça no mundo da lua e aquele olhar vago como se sua mente estivesse em outro lugar. Podemos constatar que ela está dissociada da realidade e incapaz de responder à pergunta do professor, e isso configura um estado hipnótico. Uma forte dor de cabeça também pode deixar uma pessoa em estado hipnótico,  como quando ela tenta assistir TV, ou fazer alguma coisa que a faça “esquecer aquela dor de cabeça”, mas não consegue se concentrar em mais nada, por exemplo.

Conte com um profissional qualificado

Inúmeras situações cotidianas comprovam que a hipnose faz parte de nossa operação diária, portanto, todos podem usar a hipnose médica. Basta saber como mobilizar os seus recursos internos e como usá-los. Porém, isso requer muito estudo e conhecimento que só um profissional qualificado pode ter, e com sua experiência, ajudar os pacientes a encontrar o estado hipnótico da maneira correta.  No controle da dor, ele oferece as condições para que o paciente possa encontrar neste estado o alívio que busca.

Como a hipnose pode aliviar a dor?

O hypnoanalgesia (anestesia de uma parte do corpo através da hipnose e sem química) permite  que sejam realizados todos os tratamentos convencionais realizados da prática odontológica: cuidado, extrações, implantes, etc. O que é muito interessante para as pessoas alérgicas a anestésicos químicos.

A prática da hipnose pode ser associada com as técnicas convencionais de anestesia e multiplicar os efeitos de um gás anestésico (óxido nitroso) ou anestesia injetável. Ela pode ser utilizada também para reduzir os efeitos pós-operatórios e problemas de cicatrização. Além disso, é extremamente eficaz no combate à dor crônica.

Para quais casos a hipnose médica é indicada?

Temos alguns casos em que a hipnose médica pode ser utilizada com excelentes resultados, como quando um paciente recebe uma anestesia dental ineficaz, pacientes alérgicos a anestésicos locais, casos de dor aguda, fibromialgia, dor crônica e problemas de cicatrização como no caso de pacientes diabéticos, pode ser uma saída bastante adequada.

Como a hipnose funciona no cérebro?

O cérebro independente gere a cada momento, bilhões de atividades para nós apenas estarmos vivos. Se ele é capaz de interpretar uma sensação dolorosa e relatá-la, ele também pode mitigá-la ou ignorá-la. Assim como em alguns momentos, podemos não estar conscientes de tudo o que se encontra em nosso campo de visão, o cérebro pode classificar a informação e usá-la como considerar conveniente.

A hipnose é realmente uma comunicação entre o nosso cérebro “consciente” e nosso cérebro “inconsciente”. Podemos utilizar essa comunicação para enviar comandos e executar tarefas sob domínio do inconsciente. Em analgesia, estudos mostram que a dor pode ser retransmitida para o cérebro independente, mas que ele pode optar por não passar para o nível consciente.

Hipnose não é magia, é ciência

Hipnose Médica não é magia, mas os resultados que podemos obter com esta ferramenta são verdadeiramente consistentes. Mas como esse processo acontece no cérebro? Essa questão, sem dúvida, encontrará respostas nos próximos anos, porque se já fomos capazes de mapear no cérebro a função de hipnose e identificar as áreas específicas do cérebro neste estado de consciência, os neurocientistas mais importantes do mundo estão agora olhando para o estudo do processo hipnótico.

O estudo da hipnose ainda promete grandes descobertas e a expectativa é de chegarmos cada vez mais perto do domínio total do nosso “subconsciente”.

No Comments

Post a Reply